Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Salto de Pirapora - SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Salto de Pirapora - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Rede Social Twitter
Rede Social WhatsApp
Rede Social YouTube
Turismo
Comunidade Quilombola do Cafundó
Sobre o local
Comunidade Quilombola do Cafundó
 
A Comunidade Quilombola do Cafundó existe oficialmente desde pelo menos1888, quando o casal Joaquim Congo e Ricarda possivelmente herdaram as terras do seu senhor após ganharem a alforria do mesmo. Desde então, até hoje as terras são habitadas por seus descendentes. Está localizada na área rural de Salto dePirapora, a 12 km do centro.
A palavra quilombo é originária do idioma africano quimbundo e significa “sociedade formada por guerreiros que pertenciam a grupos étnicos desenraizados de suas comunidades”. Glória Moura, em “Quilombos Contemporâneos no Brasil”, define quilombocomo “comunidade negra rural habitada por descendentes de africanos escravizados, com laços de parentesco, que vivem da agricultura de subsistência, em terra doada, comprada ou secularmente ocupada por seus antepassados, os quais mantêm suas tradições culturais e as vivenciam no presente, como suas histórias e seu código de ética, que são transmitidos ralmente de geração em geração”.
Historicamente a comunidade sempre lutou pelas suas terras e chegou a perder figuras importantes que morreram defendendo os limites territoriais. Por volta
de 1985, o CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo) tombou parte do erritório como Patrimônio. Já em 2012, após muitas lutas, a comunidade quilombola conseguiu regularizar boa parte de seu território junto ao INCRA, a qual perdura ainda hoje, compreendendo uma área de 209,64 ha (ITESP).
A Comunidade Quilombola do Cafundó teve destaque no final dos anos 70 devido ao fato de que praticamente todas as pessoas falarem algumas expressões derivadas do Banto, conhecidas por cupópia, que significa conversa. Atualmente recebe visitantes através de agendamento prévio e tem desenvolvido atividades turísticas que auxiliam na preservação histórico-cultural da comunidade. 
O local possui uma excelente infraestrutura receptiva e conta com centro de visitantes, loja de artesanato, pousada, restaurante, área de plantio de hortifruti orgânico, Capela de Santa Cruz e o Centro da Memória.
O centro de visitantes acolhe os turistas que agendam a visita ao quilombo e possui dois alojamentos com capacidade para 32 pessoas se hospedarem, equipados com banheiros, além de uma cozinha e um salão onde os visitantes podem fazer suas refeições. A visitação oferece um roteiro que insere o visitante na história e na cultura quilombola ali existente, com oficina de artesanato, oficina sobre cultura orgânica, plantio e colheita, apresentação da história do quilombo através de fotos presentes na capela. O local conta ainda com uma loja onde são comercializados os artesanatos
produzidos pela comunidade.
A comunidade é autossustentável, sendo que a maior parte de sua receita vem da venda de hortifrutis. O turismo surge como uma alternativa para incrementar a receita dos moradores da comunidade e também como forma de preservar a sua história.
O local já recebe há anos visitas de escolas de São Paulo e da região de Sorocaba, através de agendamento prévio. Estão se estruturando para atender também os turistas que praticam o cicloturismo em Salto de Pirapora e que já os tem procurado.
Localização
Galerias de Fotos Vinculadas
Seta
Versão do Sistema: 3.2.7 - 04/10/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia